LÁGRIMAS PELO VOO DA TAM

Márcia Tiburi cobra-me lágrimas pelos mortos no voo da TAM
Acompanhada das demais integrantes do Saia Justa
Representantes legitimas da classe média brasileira
Uma é jornalista
Outra é deputada federal
As outras duas são modelo e atriz
Marcia é filosofa!
Todas bem nascidas
Meu foco está na representação do choro indignado da Márcia
Não enxergo a classe média cobrar lágrimas de sofrimento pelas mortes diárias dos indigentes
Dos favelados
Dos transparentes
Dos milhares de fenecidos abominados pelos mesmos que agora cobram embravecidos meu choro pelos mortos do voo da TAM
Não posso deixar de notar os extinguidos 
Suprimidos e oprimidos pela Zona Sul
Demitidos da sociedade
Revogados da vida
Segregados por CEP e cor 
Antes de Márcia cobrar minha dor pelos filhos do dinheiro falecidos neste voo, eu estava na casa do meu primo, onde me mostrou, segundo ele, um vídeo muito engraçado.
No vídeo aparecia uma mulher negra
Favelada
Analfabeta
Sem dicção
Sugestionada por um homem branco
Zona sul
Universitário
Com dicção
O objetivo?
Vê-la falar www.youtube.com
Com toda ignorância e inocência
Alheia à humilhação sofrida
A mulher invisível ri de si mesma não conseguindo pronunciar o pedido do universitário
Enquanto isso
Globais jogam putas de carros em movimento
Universiotários batem em empregadas e queimam mendigos, rindo da invisibilidade social de milhares de brasileiros.
Mas Márcia Tiburi cobra lágrimas de sofrimento pelos mortos da TAM
Não!
Não enxergam dor nos excluídos
Não cobram lágrimas pelos homens invisíveis
Vão indo pra Paris de avião e zombando da miséria alheia
Vão pra puta que os pariu
Extinguem-se diariamente no Brasil, de fome ou assassinados, mais mortos que os donos do dinheiro do voo da TAM
Depois, quando uma Márcia Tiburi da vida é violentamente assaltada por um quase morto sedento de sanha.
Por um subnutrido telespectador eventual do seu programa a mendigar o pão nas padarias de outrem
Quando esse Zé Ninguém invisível num acesso de raiva matar e morrer, aí...
Aí a coitadinha da classe média vem pedir lágrimas indignadas com a morte da presumível passageira da TAM
Coitada, estava indo pra Europa e foi violentamente assassinada.
No julgamento do Zé ninguém eu peço a palavra
Com todo respeito Excelência: - Vai tomar no meio do seu cu largo!

Pablo Treuffar
Licença Creative Commons
LÁGRIMAS PELO VOO DA TAM de Pablo Treuffar é licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported.
Based on a work at www.pablotreuffar.com
A VERDADE É QUE EU MINTO

A VERDADE É QUE EU MINTO

6 comentários:

Anônimo disse...

O presente texto é a realidade de condições de uma rígida República Brasileira. Seu texto deveria ser lido e interpretado por usuários que se submetem ao modo de viver do não estou nem aí. Parabéns pelo seu texto, ele é um retrato branco da sociedade classe média.

Leonardo Braga

Anônimo disse...

Os ricos choram por seu iguais

Bianca,MT

Anônimo disse...

Confuso

Alex Wildner disse...

Cara, li seu texto em voz alta e rouca aqui na minha sala. Minha voz rouca por causa de um algo que não sara nunca e que deve estar enroscado na garganta. Não deve ser uma tosse comum, não deve ser muco, não deve ser gripe suína, pois não ando muito na moda, mas deve ser nojo ou aversão a toda essa enxurrada (das ruas de São Paulo ou Rio), ou avalanche (de Bariloche ou de Aspen) que vêm da TV, só refletindo e fazendo refletir (ou desrefletir) o que é esse coletivo em que nascemos, essa década, esses anos, essa bola redonda, gorda, pesada e gordurosa do mundo e sociedade fedida em que vivemos. Estou com náusea hoje, desculpe!

Anônimo disse...

falou na cara

Anônimo disse...

Genial