À DERIVA

Procuro ser o que não sou
O mundo projeta minhas ilusões de felicidade
Tenho o meu querer
Sei o meu querer
Não!
Óbvio que não!
Meu mundo interno cheio de projeções megalomaníacas e egocêntricas desiste de mim enquanto alma e canaliza-me no desejo da minha libido doentia e viciada
A sexualidade segrega minha vida da poesia
Sou um ser sem alma
Vazio
À deriva em um oceano sexual

Pablo Treuffar
Licença Creative Commons
Based on a work at www.pablotreuffar.com
A VERDADE É QUE EU MINTO

A VERDADE É QUE EU MINTO

3 comentários:

Anônimo disse...

tadinho

A GATA miau

Anônimo disse...

Tu és muito bom guri

patrícia disse...

Olha!!! Tá aí uma poesia, limpinha... sem tanto nervosismo... mas , claro com a mesma veia, com a mesma força de sempre... Lindo!!!