CASAMENTO

Mulheres querem casar
Assim
Assinando a papelada
Aliança no dedo
Padre abençoando união
Pronto!
Corroboram o amor
O amor delas
O meu não
Papel
Não preciso de papel pra validar meu amor
Papéis assinados remetem a negociatas burocráticas visando ao beneficio de poucos
Não vou associar meu amor a isso
Amor é puro
Não é burocrático
Papel
Só tarja amarela!
Aliança
Não preciso de anel nenhum pra dar provas de amor
Anel eu gosto do outro
Esse mesmo!
Troque a letra “E” da palavra anel pela letra “A”
Vai entender o anel que eu gosto
Iabadabacu
Hehehe...
Padre
Não preciso de padre legitimando união
Comedores de criancinhas, representando uma igreja católica, fazedora de maldades inumeráveis à sociedade humana não vão NUNCA abençoar o meu amor.
Não preciso dessa trilogia: Padre, papel, aliança.
Não preciso mesmo
Em tempo algum
De jeito nenhum
Minha aptidão é outra
É
Destarte
Todos os dias acordar sorrindo ao lado da mulher amada
Todos os dias dormir sorrindo ao lado da mulher amada
Todos os dias recordar o primeiro beijo da mulher amada
Todos os dias sentir o pau duro pensando na mulher amada
Todos os dias fazer sexo promíscuo com a mulher amada
Todos os dias ratificar amizade respeitosa pela mulher amada
Todos os dias aceitar a mulher amada
Todos os dias dizer “eu te amo” pra mulher amada
Todos os dias permanecer louco ao ver a mulher amada
Todos os dias rir de chorar com a mulher amada
Todos os dias ouvir a mulher amada
Todos os dias falar o quão linda é a mulher amada
Todos os dias olhar fascinado pra mulher amada
Todos os dias sentir-se casado com a mulher amada
Sem fim
Casamento é morar junto
Etimologia
A palavra casamento é derivada de casa
Moro junto
Sendo assim
Eu me declaro marido da mulher amada

Pablo Treuffar
Licença Creative Commons
Based on a work at www.pablotreuffar.com
A VERDADE É QUE EU MINTO

A VERDADE É QUE EU MINTO

8 comentários:

Anônimo disse...

Ainda bem que vc sabe colocar no papel o que está no coraçao.Assim não restringe lirismo!

lena casas novas

Anônimo disse...

lINDO

Anônimo disse...

o amor nao é burocratico, maravilhoso

Anônimo disse...

concordo com tudo

Mario

Anônimo disse...

sim ou não?

Thaís Winck disse...

Bem lindo o poema
bem sincero
parabens

Liza Leal disse...

Oi Pablo!
Na saúde e na doença...
=)

Bravo!

Patricia disse...

Poxa, de uma maneira sarcástica (contra o casamento de papel passado), de uma maneira "nua e crua" de como está a igreja, foi um dos poemas mais românticos que ja li, é estranho... mas é assim, em suma, tá muito bom!