ELE É O CARA

Vou falar
Doa a quem doer
O Willian Bobonner
O Seca Camasgo
O Bubiano Hulk
O Bostão
Infinitos sem fim outros
São a legitimação da hipocrisia humana
Eles sabem
Facilitam as negociatas nas politicagens empresariais
São coniventes
Corrompem o Brasil
Seus sorrisos amarelamentem falsos vendem nosso país em promoção
Alienaram sua alma por milhões
Infinitas prestações
Monstros destruidores de um Estado Maior
Ciência exata da representação de suas palavras
Estão aniquilando a sociedade com seus programas
Garotos de programa
Não aceito em hipótese alguma a palavra inocência pra eles
Não são inocentes
São filhos do dinheiro sujo
Não estão nem aí
Muita gente boa morre, servindo como moeda na troca das elites.
Dou de cara com o moleque, saindo do Beco de Eduardo Marinho.
Sua pistola cromada
A verdade de um menino boleiro, abandonado na serventia do crime.
Não por acaso
Não se tornou um craque
É triste
Que vencedor, que nada.
Anos de convívio desumano
Escassez de pessoas interessantes
Eu não sou tão atraente
Sim
Falo mal da nata da sociedade
A simbiose dos meus escritos é descrever essa realidade cruel
Contudo
Escrevo tudo do meu apartamento no Leblon
Bebendo uma coca-cola gelada
Ou
Saboreando um uísque
Sinto-me mal por isso
É difícil assumir-me parte da elite por mim criticada
O passo na estrada dos invisíveis sociais de Luiz Eduardo Soares eu não dei
Fazer parte do resto, com tudo, é pra poucos.
Eduardo Marinho faz
Ele é O CARA

Pablo Treuffar
Licença Creative Commons
Based on a work at www.pablotreuffar.com
A VERDADE É QUE EU MINTO

A VERDADE É QUE EU MINTO

75 comentários:

Sérgio Filho disse...

Ele é demais, um dos últimos seres conscientes desse mundo. Para ele eu tiro meu chapéu, ele é foda.

Aquele abraço Pablo!

A Mina do cara! disse...

Pois é...

Será que faz diferença escrever do Leblon ou de outro lugar?
O Rubem que tanto gosta também escreve do Leblon, de Berlim, e veja o que ele escreve, se há esse amarguramento...?

quero comprar 2 livros teus.
vou mandar no email.

um abraço

Anônimo disse...

muito bom

Leonardo B. disse...

Um imenso abraço, orgulhoso por seu sucesso, que dos meus se torna meu também!

Abraço, Pablo

Leonardo B.


* um dia haverei de ter um t-shirt dessas... "nem que a vaca tussa"! :)

Anônimo disse...

fant´stico esse bagulho

Marolo Capccia

Amanda disse...

Comprei o livro e adorei,parabéns pelo seu potencial literal.

Anônimo disse...

Salve meu Honorável Drugue

Vi as fotos e gostei muito (especialmente daquela com o chapéu coco de drugue).
Não foi porque estou duro, mas você sabe que aprecio o trabalho.
Sei que muitos outros lançamentos virão, perdi o primeiro.

O livro está aguardando para ser restituído - fabuloso.

Grande Abraço

Gustavo

Paulo Laurindo disse...

Não se sinta mal por nada, Pablo. Havemos de provar da droga para saber dos seus efeitos. Uns sucumbem, outros confundem mas que bom que existem os que transcendem.

Anônimo disse...

tesudo demais você é, que pena essa aliança na sua mão esquerda, eu iria correndo pro Rio se não tivesse em seu dedo...

Luciana

Carol P. disse...

Pablo, "tudo tão torto, mas está tudo bem". Absurdos tais nossos, e tudo tão sem... No dos seus versos encafifados de coisas muito além do rés-do-chão, ainda que elas todas nos recobrando pisar chãos-asfalto em linguagem-dia nossa, encontro cá imagens que me apetecem bocado muito... E venho agora sempre por aqui ziguezagueando palavras que não alcanço, vou ter elas exatas nunca acho, pra te dizer que, "nossa!, poemas teus de entranhar a gente"!

Aproveito o zigue pra te agradecer (ê palavra que não combina, mas...), dizendo que te agraciando (assim acho que ficaria mais no justo semântico) por visita sua ao Theartbrazil - foi o que no de então me fez vir cá ter contigo e com palavras de você.

Continuemos... Bom que te, tanto mais que com surpresa encantável de ter pois que te encontrado em palavras tão,
Carol.

Sii Thomazini disse...

Fico honrada com sua presena em meu blog e mais por me seguir.
Estou encantada com o que escreve por aqui, diante de tanta informação, diante de tanta verdade.
Vou visitá-lo sempre.

Abraços

P. Treuffar disse...

Obrigado a todos por lerem

abços e bjs

Dal disse...

Elogiar vc é pouco depois de ler esses seus textos...

CARLA STOPA disse...

O avesso, do avesso, do avesso, do avesso...
Gosto disso...
Audácia...ATITUDE.

Yuki: disse...

Parabéns pelo lançamento!

Comprei. (não virá com dedicatória, mas tá valendo)..
Será que demora?

Sucesso.

°° Maíra°° disse...

Oi!
Tudo bem contigo?
Muito bom! Muito bom mesmo seu Blog!
Fico lisonjeada com sua presença em meu Blog! Seja sempre Bem vindo!
Sempre estarei dando uma olhadinha por aqui viu!
E dei uma Olhadinha no seu Blog de fotos! Você é muito lindo! Com todo o respeito é claro!

Tudo de bom... Sempre!

Beijos

P. Treuffar disse...

Obrigado meninos e meninas, sempre bom ser lido.

Talles Azigon disse...

a poesia
usada como arma
apontada para a hipocrisia
para a miséria, fome e todos os problema sociais
não dispara bala e nem mata
a poesia
é sempre
uma arma de paz

Dayse Sene disse...

Sua"maluquez" me fascina...nem todos temos coragem de falar o que você fala e como fala.
Importante saber colocar a "boca no trombone"
Parabéns.
Um abraço.

Letícia G. Cruz disse...

Parabéns, adorei seu trabalho.
Estou te seguindo.
Bjsss

Jou disse...

Valeu por seguir meu blog!!

Abraços e ótimo resto de semana!!

PS: Se gostas de poesia, recomendo o blor do meu irmão: http://sagrav.blogspot.com/

Anônimo disse...

VOCÊ ESCREVE MAL, VAI SER MODELO, VOCÊ É VAZIO.

Paulo Braccini disse...

Agradecendo e retribuindo o carinho da visita ... muito bom poder aqui chegar e viajar por suas emoções ... parabéns pelo lançamento ... vou comprá-lo ...

Sua contextualização crítica e ácida exteriorizada neste post é de uma verdade profunda ... formidável mesmo ... retrato de uma sociedade vil e alienada ...

bjão ao Pablo

;-)

Rafael Freitas disse...

Parabéns pelo lançamento Pablo, tomara que seus textos rompam barreiras e alcancem grandes distâncias. Às vezes é preciso estar no Leblon para enxergar outras realidades. Grande abraço.

P. Treuffar disse...

OUTRA VEZ
OBRIGADO A TODOS
A TODOS...

Leo Benitez disse...

O Pablo sempre surpreende. Aprimora-se rápido, mas caga pra tudo. Adapta-se, conecta-se, mas só um pouco. E aí caga de novo pra geral. Gostei demais do livro que se pode ler em qualquer ordem e sem regras, mas que no fim, você irá encontrar unidade e cronologia. Treuffar é uma figura sem definições e que corre todos os riscos. Ah, e eu acho os textos pra lá de engraçados. A edição do livro está um luxo só, gerando aquele tal... "Prazer táctil dos maços de cigarros".

Fred disse...

Gente... muito interessante (e intrigante) isso. Parabéns pelo lançamento! Pelo visto vou virar freguês dessa bodega... hehehe! Abraço!

Camila Márcia disse...

Noooooussa... Bem intenso... desbocado vc hein...? adorei.

Obrigada por seguir-me em meu blog. É um prazer enorme ter um escritor (carioca, por sinal) entre meus seguidores.

Gostei de seu blog. Espero que suas escritas tão inspiradoras sejam capazes de me inspirar! Beijos.

P. Treuffar disse...

É uma honra estar sendo lido por vcs.

abços e bjs.

Giovani Iemini disse...

meu chapa, tô louco para receber logo o livro. hehehe.

Dave disse...

Tive um professor de História e Filosofia que ao falar sobre tais tipos e principalmente tal manipulação gerada de forma descarada pela emissora do plim-plim que: "Bukowski neles" sempre me divertia com essa expressão.

Muito bom o Blog, gostei bastante. Valeu pela visita, comentário e por estar me seguindo. Farei o mesmo.

Respondendo: O blog já diz: Um Cara de Sampa, sou Paulistano.

Abraço!

Morena disse...

Parabéns pelo sucesso, Pablo. Você escreve muito bem.

Adorei aqui!

Um beijo!

Sonia disse...

Concordo plenamente que as pessoas que você citou são a legitimação da hipocrisia humana.

E fiquei aqui pensando, como deve ser difícil assumir-se parte da elite que você critica tanto...rs

viartelma disse...

Parabéns pelo livro, e cada vez mais sucesso.
Passei por aqui lendo seu texto que gosto.
Já tenho seu link no meu espaço há muuuuito tempo rsrs
Beijoo

P. Treuffar disse...

Obrigado meninos e meninas

Pamela disse...

Você é muito gostoso, fiz um blog pa voce. Beijos na boca.

Gisa disse...

Passei e gostei do que vi. Sigo-te também. Um bj e seja bem-vindo por lá.

Marinha disse...

O lúdico no mundo dos loucos? Concordo. Ele é o cara!
Achei muito bom teu blog! Teus textos batem com força, mas devem machucar os sem caráter, os engomadinhos alienados. Em mim, fizeste carinho, apesar de me sentir um pouco culpada de observar o pôr-do-sol da janela de meu apartamento protegido. Protegido de quem mesmo? Difícil, né.
Bjo e paz, Pablo.

Anônimo disse...

vc é escritor q máximo

Leandro Ray's disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Leandro Ray's disse...

Ontem tive a primeira oportunidade de ler seu livro. Nosso ano letivo começou, carreguei ele la pra escola e fui mostrar à uma professora de Linguagem a poesia do rapaz do orkut...

Claro, a gente das Letras (minha formação) tem mania de tentar observar tudo. Eu mesmo reparei no título A DOENÇA É A DESCULPA DO CARÁTER, com o A É A DO sumidos e um sujeito dentro duma garrafa de pinga (é cachaça mesmo ou é garrafa de leite?? Olhando de novo parece leite, a verdade é que eu falei que era pinga :D)

as letras sumidas somem e fica DOENÇA DESCULPA CARÁTER, quer dizer, ao mesmo tempo que afirma, desafirma e tem significados que nem caberia aqui traçar,,,
Só te digo que a capa ficou muito boa, o cara na garrafa olhando pra direita e indo pra esquerda com semblante pessimista... muito legal... (até isso a gente repara)

Eu mesmo achei obraprima MINHOCAS GERERENCES, disparada a melhor poesia, sensibilidade ultra na composição. É dividida em cenas de teatro, dá pra fazer filme com o enredo.
Termina de uma forma magnífica. Tem final aberto e enredo com histórias por fora da história.
É riquíssima em interpretações....

Professora leu várias, parou pra ler às outras professoras várias também; gostou muito do teu briquito (that means "work").
Ela gostou do DEPENDENTE QUÍMICO DE BUCETAS, também achei muito bem feita. E gostou do Romeu e Julieta às avessas...

Capturei as influências do Rubem Fonseca... tem até um verso pra ele, muito sensivelmente bem colocado (algo como, sempre olho pra bunda, contrapondo o 'sempre atiro na cabeça' do Fonseca)
O rítmo é bem vertiginoso, a forma de aclipsar e dar pausas nos eventos lembra muito o fluxo de consciência do Joyce
Há momentos em que a leitura parece uma queda dum precipício rumo a um poço sem fundo, às vezes é rítmo de alguém girando na toda de carro por uma rua, às vezes pra esquerda, às vezes pra direita.

Enfim, tô falando pro dono da criação, acho que tõ sendo piegas observando o que ele sabe muito mais do que eu...
resumo dizendo que gostei muito
mesmo sendo um gênero que não aprecio....
No orkut tenho mania de dizer que tenho um desconfiômetro, eu sei por intuição infalível se uma obra presta ou não presta.
tô muito contente de ter acertado mais uma...

ME MANDA OUTRO LIVRO
Gostaria que você dedicasse ele a essa professora amiga minha que leu,
professora Bethânia
me passe de novo número da conta, joguei fora todos os seus dados, só não precisa passsar cpf,,, aqui ninguém deposita assim

se tu puder fazer o preço pela mesma condição anterior, ótimo; se não...
só falar

Pretendo meter grana na conta na segunda, isso se o banco tiver aberto, se não tiver fora do sistema, se não tiver fila de aposentados, se...
E espero avidamente, pra poder presentear a professora

um beijo na bunda
e até segunda
se se for na sexta
um beijo na buchecha

(tu ja viu que pra rima eu não sirvo)

abração

MOISÉS POETA disse...

Gostei desse texto. vou comprar seu livro em breve !

abraços , meu velho!

Ludmila Melgaço disse...

No fim, tudo é uma hipocrisia descarada e sem tamanho. ;)

Marcio Nicolau disse...

você é o cara!

Acho que escreveu não do Leblon, em seu apartamento, mas do Vidigal.

Isso aqui é um rap. Você é um rapper.

Tua poesia é a realidade sampleada, com efeitos, loops.

Tem efeito o que você diz.

P. Treuffar disse...

Ludmila Melgaço, vc tem razão, a hipocrisia reina.

Marcio Nicolau, realidade sampleada e show.

Obrigado a todos q me leem.

Patrícia disse...

Te conheci porque segue meu blog BELEZA ALTERNATIVA. E gostei muito dos seus textos. Escrever sem hipocrisias, não há nada mais charmoso!
Te convido a conhecer meu blog de contos: http://bocarara.blogspot.com/
bjsssssss

Patrícia disse...

Enquanto você lia meu texto, eu lia os seus.
Vou olhar os que me indicou.
Tenho outros que pode gostar também.
bjsss

Marcio Nicolau disse...

li tua resposta, Pablo, e achei um pouco dúbia: "é show", vocÊ disse e eu me pergunto o que você quis exatamente dizer com isto. Será que aprova a expressão que utilizei? Ou rejeita a metáfora?

Na dúvida, eu explico o que eu disse: quando li o poema ouvi mesmo uma música ao fundo, me pareceu um rap. E o sampler, você deve saber, é um instrumento que é utilizado na música eletrônica, no hip hop.

Teus versos são impregnados de realismo e me remetem a esse movimento que cria bases musicais para manifestar descontentamento em relação a realidade social. Manifestar descontentamento e desejo de interferir, recriando o que se apresenta como fato consumado.

É nesse sentido que me ocorreu essa metáfora do sampler, pela possibilidade de recriar. Foi isso.

Talvez você já tenha até entendido.

Enfim...

De todo modo, sinalizo aqui a releitura e, mais uma vez, dou os parabéns pelo teu trabalho.

Pablo Treuffar disse...

li tua resposta, Pablo, e achei um pouco dúbia: "é show", vocÊ disse e eu me pergunto o que você quis exatamente dizer com isto. Será que aprova a expressão que utilizei? Ou rejeita a metáfora?
RESPOSTA: Aprovo a metáfora, e uma vez musicada, é show, só não me peçam pra cantar... hehehe... Muito obrigado amigo.

Na dúvida, eu explico o que eu disse: quando li o poema ouvi mesmo uma música ao fundo, me pareceu um rap. E o sampler, você deve saber, é um instrumento que é utilizado na música eletrônica, no hip hop.
RESPOSTA: Sim, eu entendi, e fico lisonjeado.

Teus versos são impregnados de realismo e me remetem a esse movimento que cria bases musicais para manifestar descontentamento em relação a realidade social. Manifestar descontentamento e desejo de interferir, recriando o que se apresenta como fato consumado.
RESPOSTA: Muito feliz com seu entendimento da minha obra, você me faz sentir-me no caminho certo. Mais uma vez obrigado.

Lucélia Muniz França disse...

Passando para parabenizar pelo belíssimo blog!!! Gostei tanto que mim tornei seguidora e vou voltar aqui outras vezes!!! Um Grande Abraço

Lucélia Muniz
NOVA OLINDA-CE
http://www.luceliamuniz.blogspot.com/

P. Treuffar disse...

Obrigada Lucélia

pensamento critico disse...

parabéns pelo seu espaço.É sempre bom ver alguém exercendo o pensamento critico.

Giovani Iemini disse...

tô relendo o buk. cara, no brasil, como ele, só tu. tem muita gente boa em outros estilos, mas nessa versão corrente e sincera, é vc.

Damnus Vobiscum disse...

Exato. Mas não há pq se sentir culpado por usufruir de uma ponta desses prazeres. O gênio não age em meio à miséria, um pensador não pensará enfiado na merda, de barriga vazia e preocupado com a putrefação q sofre em vida. Continue falando, cara. Servirá de redenção.

Poeta Mauro Rocha disse...

Feliz Páscoa a você e a todas de sua familia e amigos.

Um abraço!

Rody Cáceres disse...

Teu blog é foda...

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Pablo,
passando aqui nesse primeiro dia da semana para agradecer a companhia aqui no Espelhando e seu empenho em posts tão... digamos
impactantes e reais.
Peço desculpas por não estarem cumprindo comigo o compromisso de visitarem todos os posts,
afinal esse foi um dos combinados quando convidei cada um para postar.
Portanto meus comentários é certo que la, nunca faltaram nem faltarão.
Linda semana e
Bjins entre sonhos e delírios
e aceite meus sinceros agradecimentos

Guará Matos disse...

Cheguei por aqui também, rapas Pablo.
tá velendo.
Abraços.

Guará Matos disse...

Cheguei por aqui também, rapas Pablo.
tá velendo.
Abraços.

Anônimo disse...

Hello foi a 1ª vez que li a tua página e reflecti muito!Bom Projecto!
Até à próxima

Fábio Mariz disse...

Oie Sou Fábio Mariz do BLOG (Mariz.Moda), achei seu blog o máximo, já estou seguindo visite o nosso e seja um seguidor!

#ABRAÇOS

(http://www.marizmoda.blogspot.com)
nossos twitter: @FabioMarizReal & @MarizModa

LOIRINHA KSADA... disse...

...que "Bodega maravilhosa querido, já sou frequentadora assídua", tem muita coisa que gosto aqui em sua "Casa", obgda e seja bem vindo... bjs bjs bjs...

valquiria silveira disse...

Muito lindoo amei sempre que puder estarei por aqui bjbjbj uma semana linda pr vc!

Anônimo disse...

Muito bom

Deh... disse...

Amigo... adorei teu blog, esse teu pos't então, fala sério?? Perfeito!! estarei sempre por aqui.
Otimo final de semana pra vc
Bjssss

Laiane Camargo disse...

Adorei o blog, maravilhosoooo!!! :D PARABENS!

Balaio da Sheila disse...

Olá Pablo!
ótimo seu post,td de bom!!!
Já estou te seguindo e gostaria de lê convidar pra conhecer meu blog e se gostar me segue tbm!

Beijinho e até breve Pablo...

http://balaiodasheila.blogspot.com

Cherry disse...

prostitutas não são só mulheres que vendem o corpo, mas sim pessoas que se vendem. todos tem uma parcela de prostituta. o desafio é ter a menor possível. concordo plenamente com o que disseste dos globais. parabens pelo texto.

Lilly M. disse...

O Menina Apenas chegou aos 300 seguidores, e você faz parte dele, faz parte da minha história.

Indiquei um selo, pelos 300 seguidores, nesta página http://meninaapenas.blogspot.com/2011/07/entao-eu-dedico.html
convido você a ir buscá-lo.

Obrigada por andar comigoo!
Beijos meus'
LillyM.

Sorry i cant fly... disse...

Que delícia o seu blog.
Gosto de ler verdades assim...
...escancaradas.
Bjlhões.

Araan disse...

NOTA MIL PARA O SEU BLOG!
OBRIGADA PELA SUA VISITA, MEU CARINHO
SEMPRE...BEIJOS !

Nayara Borato disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Viva e deixe viver. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

http://narroterapia.blogspot.com/

Nayara Borato disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog A dança das Palavras. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

http://narroterapia.blogspot.com/

Giovani Iemini disse...

queria ter ter visto pelo rio, pablito. haverão outras oportunidades![]s

BLOG DO XANDRO® disse...

Oi,amiguinho(achei legal seu blog),visite/siga o Blog do XANDRO
(meu blog para retribuir o carinho)vc vai gostar!;)

http://blogdoxandro.blogspot.com/